Turismo pedagógico descobre o meio rural

Passeio de carretão, piquenique, lida com os animais e brincadeiras antigas são algumas das atividades desenvolvidas pelo Roteiro Compassos da Mérica Mérica, em Flores da Cunha. Fotos/Divulgação

Passeio de carretão, piquenique, lida com os animais e brincadeiras antigas são algumas das atividades desenvolvidas pelo Roteiro Compassos da Mérica Mérica, em Flores da Cunha.
Fotos/Divulgação

Passear de carretão, catar ovos e conviver com os animais são algumas das atividades que estão despertando o interesse dos educadores

Andar pela horta da ‘nonna’, ajudar na lida com os animais, conhecer o velho tanque de lavar-roupas e aprender a valorizar de onde vem nosso alimento. Esses são alguns dos atributos do chamado turismo pedagógico, que vem se ajustando muito bem às propriedades rurais que desenvolvem seu lado turístico. O Roteiro Rural Compassos da Mérica Mérica, opção de visitação em Flores da Cunha, na Serra Gaúcha, desenvolve atividades para os pequenos e pequenas e hoje a opção já está entre as mais procuradas, contando com a visita de escolas que buscam experiências diferentes para seus alunos.

No Roteiro, as atividades oferecidas propiciam vivenciar os costumes dos imigrantes italianos, como fazer a ‘colombina’ de pão e assar em forno à lenha, passear de carretão, participar das oficinas de massa e artesanato. A lida com os animais, como catar ovos e tirar o leite das vacas, costuma ser a parte predileta das crianças. Nos espaços amplos, é possível ainda resgatar brincadeiras antigas, todas mantendo um contato direto com a natureza. No caso do Mérica Mérica, é possível contar histórias como a do imigrante e poeta Ângelo Giusti, que viveu em uma das comunidades que integram o roteiro, e também do ‘Sanguanel’ – personagem de uma lenda que diz que ele roubava crianças e escondia no alto das árvores. “No total temos três propriedades com a opção do turismo pedagógico, uma delas está atuante. Percebemos que em alguns meses o movimento aumenta, mas no geral ele permanece ativo durante todo o ano. É uma maneira divertida de mostrar para as crianças a origem das coisas e também valorizar o trabalho realizado pelo nosso agricultor”, reconhece o presidente do Compassos da Mérica Mérica, Jamur Mascarello.

contra 1

Para Marisangela Triaca, psicopedagoga e vice-diretora da Escola Municipal São José, também de Flores da Cunha e que incluiu na programação do ano letivo as visitas ao interior, a experiência é importante para as crianças já que elas podem ver na prática o que muitas vezes aprendem em sala de aula. “Essas atividades são muito positivas em diversos fatores. As crianças aprendem a cultura que é delas e que não podemos deixar morrer, a história e também conhecem lugares muito diferentes. Além disso, amplia o aprendizado com conhecimento prático, que é muito importante nesta fase do aprendizado, assim como ter vivências e aprender a respeitar e preservar a natureza”, salienta a educadora.

Melhorando a propriedade e a renda

Não é de hoje que o turismo rural vem se tornando uma bela alternativa de desenvolvimento para a agricultura familiar. Um caminho que segue na contramão do êxodo rural, observado com maior força a partir da década de 1970 e que a cada ano enfraquece a população que vive nas propriedades do interior. Mas além das opções de turismo rural, que se intensificam nos períodos de colheita, o turismo pedagógico viu nos atrativos da colônia uma oportunidade de experiências diferentes daquelas vistas na cidade. É assim que funciona na propriedade do agricultor Fernandes Muraro, que fica no Travessão Rondelli, interior de Flores da Cunha.

Nas possibilidades da propriedade estão o tradicional passeio de carretão, a colheita de frutas no pomar, o espaço para recreação, as brincadeiras antigas resgatadas especialmente para os visitantes, a visita ao forno de carvão e as muitas histórias da família e da imigração italiana na região. “A primeira atividade envolve fazer o pão. Então as crianças aprendem sobre o trigo que dá origem à farinha e depois amassam a massa do pão. Depois de assado eles podem inclusive levá-lo para casa. A convivência com os animais é a principal atividade para eles, que brincam na grama, fazem piquenique e acham tudo o máximo”, adianta Muraro.

Para o empreendedor, investir no turismo auxilia em muitos fatores, da organização ao aumento na renda. “Nossa propriedade se transformou depois que passamos a investir no turismo. Está mais bonita e estamos em um processo de melhoramento contínuo. Temos certeza que a tendência é termos cada vez mais procura e, consequentemente, um maior retorno financeiro, agregando muito na renda familiar”, garante.
Existem opções de passeios de meio turno e turno integral, e a atividade é recomendada para crianças a partir dos 6 anos de idade. Contatos pelo telefone (54) 9.9694.4154.

Sobre o Mérica Mérica
O Roteiro Rural Compassos da Mérica Mérica é composto por nove empreendimentos que fundem tradição italiana e lazer entre vinícolas, restaurante e agroindústria familiar. Distribuídas nas comunidades de São Roque, Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do bom Conselho e São Vitor, as localidades que compõem o roteiro têm atividades que se complementam e tornam o passeio uma verdadeira experiência para visitantes de todas as idades. Mais informações sobre o roteiro podem ser obtidas pelo site www.compassosdamericamerica.com.br.